Eventos ULBRA, I FÓRUM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, TECNOLOGIAS INFORMÁTICAS E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

Tamanho da fonte: 
SABERES DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA EM CYBERFORMAÇÃO SEMIPRESENCIAL: APONTAMENTOS
Vinícius Pazuch, Maurício Rosa

Última alteração: 24-04-2012

Resumo


Este resumo delineia resultados parciais de uma pesquisa de doutorado em andamento sobre os saberes produzidos e/ou mobilizados por professores de matemática do Ensino Fundamental em Cyberformação Semipresencial. Deste modo, em termos de pressupostos teóricos, nos baseamos na concepção de Cyberfomação (ROSA, 2011) e nos saberes docentes (TARDIF, 2002; CHARLOT, 2000; 2005). A Cyberformação contempla “[...] a formação vista sob a dimensão específica (matemática), pedagógica e tecnológica que assume o uso de TIC[1], em específico, o ciberespaço em ambiente de EaD sob a perspectiva do ser-com, pensar-com e saber-fazer-com-TIC [...]” (ROSA, 2011, p. 11) e os saberes docentes correspondem à trama de saberes profissionais, (constituídos na formação inicial, oriundos das Ciências da Educação e da ideologia pedagógica), de saberes pedagógicos, correlacionados com os saberes disciplinares, curriculares e experienciais (TARDIF, 2002). Em termos metodológicos, nossa investigação é de natureza qualitativa, pois consideramos as falas, as ações, as argumentações produzidas em encontros presenciais e a distância, por um grupo de professores de matemática do Ensino Fundamental e pelo pesquisador (primeiro autor). O grupo de Cyberformação Semipresencial planeja, discute e reflete sobre atividades de geometria euclidiana por meio da leitura de artigos científicos, de vídeos do YouTube, de softwares de geometria dinâmica, da Internet, da plataforma Moodle (fórum, wiki, e-mail) e, concomitantemente, pretende analisar episódios da prática docente dos professores, participantes da pesquisa, os quais co-produziram aulas de matemática com o uso de TIC. Os resultados parciais que estão sendo construídos mostram relações com os saberes de natureza matemática (relativos principalmente com geometria euclidiana), discussões sobre os saberes tecnológicos (concepções de uso), inferências sobre os saberes pedagógicos (concepções de ensino, de práticas) e reflexões sobre os saberes da experiência, que apontam os modos particulares e os indícios de transformação dos saberes e, também, dos professores em Cyberformação Semipresencial.

Palavras-chave: Ensino Fundamental. Espaços Formativos. Prática docente.

 

REFERÊNCIAS

 

CHARLOT, B. Da relação com o saber: elementos para uma teoria. Porto Alegre: Artmed, 2000.

 

CHARLOT, B. Relação com o saber, formação dos professores e globalização: questões para a educação hoje. Porto Alegre: Artmed, 2005.

 

ROSA, M. Cultura Digital, Práticas Educativas e Experiências Estéticas: interconexões com a Cyberformação de Professores de Matemática. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 34., 2011, Natal, RN. Anais... Natal, RN: ANPED, 2011.

 

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

[1] Tecnologias de Informação e Comunicação.